Previous
Next
previous
next

Jason Dill

Ninguém faz como Jason Dill, isso é um fato.

Existiu um longo período na história do skate quando tudo se baseava e ser rebelde, quando a gente estava fora de tudo que estava “dentro”, quando as palavras dos nossos profissionais eram propositalmente antagônicas e combativas, diferente dos que mais parecem uma máquina falando. Se você presta atenção no que Jason Dill tem pra dizer já percebe que ele não mudou essa mentalidade. Ele fala o que vem na mente, e diz, faz e anda de skate do jeito que quer, como ele quer, sem dar a mínima para o que os outros pensam – em resumo, ele é a essência do skateboard. Jason cresceu nos anos 1990 em Huntington Beach, Califórnia, em uma época onde alguns dos maiores skatistas de street estavam criando sua fama. Ele foi parte dos primeiros times da World Industries/101, que ajudaram a mudar a forma do street skate para sempre. Desde então, ele viveu uma centena de vidas dentro e fora do skate, a maioria do tempo andando pela Alien Workshop, uma das mais respeitadas marcas da indústria. A sua parte no vídeo “Photosynthesis” de 2000 é lendária – daqui 50 anos, as pessoas ainda vão assistir essa parte como fonte de inspiração. O skate suave e sem esforços de Jason por toda a sua carreira e sua habilidade de re-inventar sua presença e seleção de manobras garantiram a ele o 28º lugar na lista de Skatistas Mais Influentes da História da revista Transworld. Jason é um amigo da Vans há muitos anos. Ele ajudou a criar e desenvolver tênis clássicos para a divisão Syndicate e ficamos incrivelmente honrados e orgulhosos de tê-lo em nosso time desde o verão de 2012. Em 2013, AVE e Dill começaram a lançar shapes pela marca de Jason, a Fucking Awesome.

ENTREVISTA

QUAL A MELHOR VIAGEM QUE VOCÊ JÁ FEZ?

Ácido, durante o todo verão quando eu tinha 17 anos em Nova Iorque e São Francisco.

SKATISTA FAVORITO DA VANS?

Julien Stranger.

QUAL MANOBRA VOCÊ QUERIA MANDAR MAS NÃO CONSEGUE?

Me acalmar – essa seria uma boa manobra pra aprender. Ainda não acertei essa.

O ÚLTIMO BOM LIVRO QUE VOCÊ LEU?

Qualquer coisa do Kurt Vonnegut, especialmente “Palm Sunday”. Também estou lendo “Do or Die” de Leon Bing, sobre a cultura das gangues do sul da Califórnia dos anos 1980-1990. Até agora tem sido bem legal.

QUAIS SÃO OS SEUS HOBBIES E INTERESSE ALÉM DO SKATE?

Não sou autorizado a ter hobbies. Aparentemente eles quase me mataram.