Previous
Next
previous
next

Jeff Grosso

Jeff Grosso é o cara. Ele já era o cara antes mesmo das pessoas saberem quem é o cara.

Só faz sentido o fato dele ter entrado no time da Anti-Hero em 2011 porque o skate nunca teve um anti-herói maior que Jeff. Ele vem desafiando as convenções desde o começo dos anos 1980 e o seu skate e estilo sem frescuras o transformaram no skatista favorito de todos por várias gerações. Desde o seu começo no skate e durante o breve lance com a Bones Brigade, Grosso sempre foi o azarão e o seu senso humor diferente só faz as pessoas amarem ele ainda mais. Jeff é um dos últimos autênticos que falam o que vem à mente, em uma época quando as pessoas parecem se comunicar por trechos de formais anúncios à imprensa. A sua série no canal da Vans, “Love Letters to Skateboarding”, é um sucesso com skatistas de todas as idades. Eles falam “às vezes tem um homem. Bom, ele é um homem de seu tempo e lugar, ele é o Cara”. Esse é Jeffrey Blain Grosso.

ENTREVISTA

QUAL A MELHOR VIAGEM QUE VOCÊ JÁ FEZ?

Uma viagem de ácido em 1986. Eu achei que ia descobrir alguma coisa sobre mim mas não, já era.

SKATISTA FAVORITO DA VANS?

Alex Perelson por $1000.

QUAL MANOBRA VOCÊ QUERIA MANDAR MAS NÃO CONSEGUE?

Eu queria me enganar e acreditar que alguma pessoa se importa com o que eu penso. Desliga seu computador e sai de casa cara. Vai.

O ÚLTIMO BOM LIVRO QUE VOCÊ LEU?

“Comer. Rezar. Amar” de Elizabeth Gilbert. É uma mistura de inteligência, sabedoria e exuberância coloquial que é próximo do irresistível.

QUAIS SÃO OS SEUS HOBBIES E INTERESSE ALÉM DO SKATE?

Gosto de fumar, a poesia do meu cachorro, Gus, pensar sobre a vida e o amor. Recentemente eu pintei uma tela pela primeira vez. Visceral! Estou escrevendo um livro de memórias com um escritor fantasma, é um conto precentivo. Eu tiro fotos, escrevo em um blog, faço Pilates, yoga, corro 15km por dia. Estou renovando um Chevelle 1964 e meu Panhead FL 1949 é cereja. Eu dirijo nos finais de semana, quando o tempo deixa. Eu também trabalho com organizações para jovens – é bom manter as mentes jovens férteis. Minha banda está trabalhando em um material novo e eu acho que nossos fãs vão adorar. O que mais? Estou pensando na possibilidade de abrir uma marca de chapéus antigos. Não sei ainda, algo diferente.